Quarta, 12 de dezembro de 2018
(11) 98373-2619
Economia

07/02/2018 ás 20h12 - atualizada em 21/02/2018 ás 18h36

51.258

Redação

São Paulo / SP

Spani Atacadista chega na Raposo para abocanhar atacado e varejo na região
Com mais de 25 lojas espalhadas a rede atacadista pretende faturar R$ 3,7 bilhões em 2018.
Spani Atacadista chega na Raposo para abocanhar atacado e varejo na região
Rede possui mais de 25 lojas no Estado/Foto:Divulgação

Em franca expansão pelo estado de São Paulo com 25 lojas, o Spani Atacadista anunciou a estratégia de inaugurações que se alastram pelo interior e capital, passando pelas regiões metropolitanas. No próximo dia 20 de fevereiro, a rede quer inaugurar sua nova unidade no Butantã, que fica no km 14,5 da rodovia Raposo Tavares, próximo ao Shopping Raposo. 


A disputa no setor ganhou força nos últimos quatro anos. O cenário econômico do país leva cada vez mais famílias aos atacadistas que também vendem no varejo.


O crescimento do setor, em média 14% ao ano, é de fazer inveja a qualquer empresário que vivencia os efeitos da crise no varejo brasileiro. Em 2016, as atacadistas movimentaram R$ 250 bilhões no País.


A pesquisa mais recente sobre o tema, conduzida pela consultoria da Granja Viana Nielsen e divulgada em março/2017, mostra que as vendas nos “atacarejos” cresceram 12,1% em 2016, contra uma retração de 1% no movimento dos hipermercados no mesmo período.  


Não é à toa que o Spani, do grupo Zaragoza, do Vale do Paraíba, aproveitou o momento para colocar em prática o maior plano de expansão da rede, que hoje, acumula 25 lojas – das quais, 14 foram inauguradas em 2017. 



O projeto do Spani está praticamente completo nessa região. Chegamos a uma fase em que precisamos expandir para outras praças e geograficamente entramos mais em São Paulo", explica Flávio Almeida, Diretor Comercial do Spani Atacadista.


Estratégia que traz resultados


Em 2017, a empresa desembolsou R$ 200 milhões com novas lojas, que já registram um volume de vendas 34% superior ao do ano retrasado.


Em 2016 faturamos R$ 1,9 bilhão, uma alta anual de 8% em cada unidade. Já em 2017 fechou com R$ 2,2 bilhões. Para 2018, o Grupo Zaragoza, dará continuidade no projeto de expansão e prevê a inauguração de novas lojas que devem demandar investimento na ordem de R$ 140 milhões.


E embora pareça que 2017 tenha sido um ano fácil, Almeida afirma que não. Durante anos, eles tiveram sua capacidade de expansão represada.


“O mesmo grupo que levou mais de uma década para levantar nove lojas, assumiu uma expansão ambiciosa em um ano. Mas, era agora ou nunca”, diz.


Com a economia desaquecida, os descontos oferecidos pelas indústrias nas negociações tiveram variações de até 10%. Os prazos de pagamento também aumentaram, chegando a até 90 dias. Além disso, o volume de vendas aumentou exponencialmente, com a chegada das famílias.



 Para se destacar da concorrência e fidelizar a nova clientela, o atacado aposta em prateleiras mais organizadas que a de seus grandes concorrentes, como o Assaí Atacadista, bandeira do Grupo Pão de Açúcar, e Roldão.


As unidades do Spani Atacadista oferecem um mix com mais de 10 mil produtos dos setores de açougue, bebidas, frios, laticínios, hortifrútis, importados, mercearia, higiene e limpeza. 


A ideia é manter os preços mais baixos para o varejo - entre 6% e 8% mais baratos que os de supermercados - dentro de uma loja mais agradável. O layout envolve serviços para fatiar frios e carnes e lojas bem limpas e desobstruídas, sem caixas e pallets, como é comum entre as atacadistas.


Outra providência importante é o número de caixas a disposição do cliente para evitar filas, mesmo em datas festivas como Carnaval, Pascoa e Natal.


Outro dado importante para a expansão da rede é que a operação teve início ao redor da cidade de São José dos Campos. A cidade sustenta uma das mais elevadas rendas per capita do país (R$ 1,2 mil), cerca de 50% acima da média nacional.


O alto padrão de renda somado a oferta de empregos na região levou Cleber Gomez a fundar a empresa, que hoje, figura entre as 20 principais redes do varejo de alimentos, segundo a Associação Brasileira dos Atacadistas de Autosserviço (ABAAS).


Sem nenhuma participação de sócios ou investimento de outros países, o grupo também é dono de quatro lojas das bandeiras Villareal Supermercados (duas em São José dos Campos, uma em Taubaté e uma em Cruzeiro) voltado para o consumidor final das classes A e B, do Vale do Paraíba.

FONTE: Diário do Comércio

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Mais lidas
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium