Quarta, 15 de agosto de 2018
(11) 98373-2619
Colunistas

17/03/2017 ás 02h00 - atualizada em 17/03/2017 ás 02h26

610

Por João Pedro (Guri MC)

Cotia / SP

Como comecei no Rap e porque comecei
Eu demorei, mas voltei!
Como comecei no Rap e porque comecei
Foto: Divulgação - ArteFato’Mcs - Grupo de Rap que acaba de lançar sua música 'Mestres de Cerimonia'

Assim como meu grupo “ArteFato’Mcs” que lançou musica nesse domingo (5) também demorou pra lançar uma nova, a da vez se chama “Mestres de Cerimônia” e deixarei links caso se interessem, esse foi o motivo maior de não ter escrito algo no “Som na Quebrada” essa semana! Outro grande motivo foi uma dúvida do que escrever, por isso peço que nos comentários deixem sugestões de tema envolvendo Rap e Quebrada nos comentários, você pode me mostrar como anda o rap na sua quebrada!


Mais começando, para o tema dessa semana escolhi falar de “Como comecei no Rap, e porque comecei”


Bom, conheci o Rap por envolvimento meu com a TV, na época com a MTV Brasil ainda viva tive acesso a clipes de rap como “Um Bom Lugar” Do Sabota e “Desabafo” do Marcelo D2 que constantemente passavam nos programas de top 10 da MTV e foram e são grande influência para mim como MC.


Sempre tive curiosidade de ouvir rap, e adotei-lo como estilo preferido, nisso me aprofundei no Rap lendo a Biografia do Sabotage “Um bom Lugar” de Toni C, essa foi meu grande passo na vida de MC, Conheci o Rap, e sempre ouvia nos tempos livres, mais lendo a Biografia me aprofundei, e adotei ele como meu estilo de vida, de pensar e agir, meu jeito de se vestir mudou, de pensar, o Rap salva vidas, e como Fabio Brazza nos fala “Eu faço Rap, não é só porque eu gostei da batida. É porque a mensagem que ele trouxe transformou a minha vida. Porque na falsa realidade que eu vivia, o Rap foi minha lanterna, que iluminou o meu caminho e me tirou dessa caverna!”


Acredito que a Biografia do Sabota, e o aprofundamento bem intenso no Rap me trouxe essa vontade de escrever, passar mensagem, cantar, ser um Rapper/MC.


Comecei como uma banda de rock de fundo de quintal, reuni uns amigos que tinha o mesmo amor por rap, arrumamos algumas ideias e montamos um grupo, escrevemos e muito tempo depois conseguimos gravar, lembro até hoje de como tremi perante ao microfone pela primeira vez, eu queria lançar algo bom, estava dando tudo de mim;


Diversas mudanças ocorreram no grupo, um integrante seguiu outro caminho até chegar onde está a “ArteFato’Mcs” hoje!


Vivendo perante a cultura do MC muitas coisas entraram na minha vida, como a rima. Comecei a rimar e frequentar batalhas e duelos de MC, conheci muita gente que vai ser importante na minha carreira, muitos amigos do peito, nas festas que ia sempre montávamos uma roda de rima parar brincar, e isso foi o primeiro passo pra começar a ser um Mc de batalha! Ali realmente acontece o movimento, existem vertentes a serem seguidas como expliquei bem na última matéria do SNQ (Som Na Quebrada) e aquilo me transformou no que sou hoje, acredito que faça um ano que comecei realmente, e estou começando a colher alguns frutos, a rima até na parte acadêmica sempre me ajuda diversas vezes no curso em que faço sou desafiado a rimar, se é pra fazer paródia sempre me chamam, se é pra apresentar algo falam “porque você não apresenta rimando?” Virou parte de mim já, está na minha essência.


Porque comecei no Rap?


Pelo rap ser um enorme transmissor de mensagem, pelas pessoas pararem e pensar no que seu verso fala, em que você pensou para escreve-lo, ficar admirado pela técnica, gostar elogiar de verdade.


Eu comecei a ouvir músicas e ter esses pensamentos, e porque eu não poderia virar um também? Viver do rap, fazer shows, viver sempre em gravadoras. Daí criei meu sonho, e fui estruturando-o, o que exigia, conhecimentos que exigia, estudo do sonho é ótimo, saber o que você fará daqui a uns anos, ser um Rapper bem sucedido e respeitado é minha ambição, eu faço pelo rap, primeiramente! Que isso vem logo atrás, como consequência de um trabalho bem feito! O rap é mais que camisas largas, gírias, críticas ao governo como é vendido pro povo, Rap é vida! É modo de viver, de cumprimentar as pessoas, ter admiração pelas pessoas, ouvir e entender letras, rap me salvou, me salvou de ser mais um de mente fechada, como diz Brazza! OUÇA RAP! E deixe a ignorância de lado.



 

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Mais lidas
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium