Anuncie
VINGANÇA
População amarra prefeito que não cumpriu promessas
Essa é a terceira vez que o político enfrenta esse castigo em praça pública. Ele afirmou ter sido vítima de fake news
01/03/2018 11h42Atualizado há 1 ano
Por: Redação
Fonte: El Deber
35.991
Foto: Divulgação/El Deber
Foto: Divulgação/El Deber

Prefeito que não cumpre promessas é amarrado na rua. Em uma cidade na Bolívia, a pequena San Buenaventura, essa já é uma tradição que acontece sempre que os cidadãos não estão satisfeitos com a gestão municipal.

Segundo o jornal local El Deber, na última segunda-feira (26), Javier Delgado, prefeito do município de 8 mil pessoas, foi preso em uma armadilha de madeira pela população revoltada. As pessoas levaram o prefeito e o deixaram com uma das pernas presas.

Os cidadãos argumentaram que estavam descontentes com as promessas de campanha que Delgado não cumpriu. Em 2015 e 2016, ele havia enfrentado a mesma situação.

Mesmo preso na armadilha, Delgado teve direito a fumar um cigarro. Um cachorro não se sentiu intimidado pela situação inusitada e se sentou ao lado do prefeito. Enquanto isso, a população observava atenta.

Ao jornal local, o prefeito contou que cedeu ao castigo para depois conseguir explicar sua versão dos fatos.

Ele afirmou que não é "um político ruim" e que a cidade está repleta de notícias falsas (as chamadas fake news), implantadas por seus adversários políticos.

"Nós não estamos falando de pobretões, mas pessoas que têm muito dinheiro, que têm negócios, atividades econômicas e que perderam poder", contou o prefeito.

Delgado deixou claro que sua maior tristeza não foi a punição em si, mas ficou desapontado com a “população desinformada” de sua cidade.

Talvez por já estar acostumado com a situação, Delgado decidiu não acionar a justiça boliviana sobre o caso.

Foto El Deber
Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários