PMC - Estrada de Caucaia
PMC - Mãe Cotiana
ECONOMIA

Desemprego cai e informalidade chega a maior nível da história

Quatro em cada dez brasileiros da população ocupada atuam em vagas informais, maior valor desde 2016, quando o indicador foi criado

27/09/2019 10h53Atualizado há 3 semanas
Por: Agatha Marques (Redação)
43

O desemprego caiu e a taxa de informalidade chegou ao maior nível da série história no trimestre encerrado em agosto destea no, segundo a Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), divulgada nesta sexta-feira (27) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

A taxa de desemprego chegou a 11,8% frente 12,3% no trimestre anterior (março, abril e maio). Isso significa que 12,6 milhões de pessoas continuam em busca de um emprego. 

Em contrapartida, 41,1% da população ocupada atua em vagas informais, maior valor desde 2016, quando este indicador começou a ser avaliado. 

 

Dos 684 mil novos ocupados, 87,1% entraram no mercado de trabalho pela via informal.

O salário médio ficou em R$2.298 no trimestre encerrado em agosto, valor estável em comparação ao trimestre anterior (R$2.297). 

Mercado de trabalho

A Pnad aponta que o país tem 93,6 milhões de pessoas com carteira assinada. O número de funcionários nesta situação no setor privado chegou a 33 milhões.

A categoria dos trabalhadores por conta própria chegou a 24,3 milhões de pessoas, novo recorde da série histórica. 

Subutilização 

A taxa de subutilização caiu para 24,3%, puxada pelo aumento da ocupação e pela queda de 3,9% na população desalentada, que reúne 4,7 milhões que desistiram de procurar trabalho.

É o primeiro recuo significativo de desalentados em pouco mais de cinco anos, desde o trimestre encerrado em fevereiro de 2014.

Já o número de subocupados por insuficiência de horas, ou seja, aqueles que trabalham menos de 40 horas semanais e gostariam de trabalhar mais, está em 7,2 milhões de pessoas. Apesar de representar estabilidade em relação ao trimestre anterior, é o maior contingente desde 2012.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias