PMC - Estrada de Caucaia
PMC - Mãe Cotiana
Cena revigorada

Novos artistas na música brasileira

há vida inteligente na música brasileira

10/10/2019 19h51
Por: Jacson Andrade
98

Fiquei espantado com a crítica feita por Milton Nascimento ao atual cenário musical brasileiro e ouso discordar do mestre. Não podemos confundir a produção musical com o que é exposto na televisão ou com as músicas tocadas exaustivamente no rádio.

 Muita coisa boa vem sendo feita, mas não chega ao grande público, então aproveito deste espaço para indicar alguns artistas para quem busca sair a mesmice:

 Lunedji Luna: “ Atravessei um mar, um sol da América do Sul me guia. Trago uma mala de mão dentro uma oração, um adeus.” Os versos doces da música “Um corpo no mundo” são um abraço da voz que ora me parece Ney Matogrosso, noutro segundo uma versão suave de Cassia Eller.

 

                                                                        

 

Francisco el hombre: Banda difícil de rotular. Um som inesperado que mescla, rock, MPB e eletrônico com letras abusadas fazem deles uma das bandas mais originais da atualidade.

 

                                                                       

 

Liniker e os Caramelows: A jovem de apenas 24 anos estourou há 5 e vem conquistando multidões Brasil afora com sua voz rouca e versos autorais. O blues, R&B e Soul são o norte dessa viagem musical.

 

                                                                         

 

Jonathan Ferr: O jazz com pitadas de samba, funk e muita alma brasileira.

 

                                                                         

Ana Gabriela: “Mais de nós” é um sambinha com uma pegada pop. A jovem canta com delicadeza e sem muitos floreios. É simples, mas muito bem arranjado.

                                                                         

Emicida: O moleque da periferia paulistana já vem de muitos sucessos e seu disco “Sobre crianças, pesadelos e lição de casa...” – meu preferido - foi buscar referências africanas, ainda há ira mas ela é intercalada por momentos românticos como “Passarinhos” e “Baiana”.

 

                                                                          

Kell Smith: acho até o perfil parecido com outros sucessos recentes de AnaVitória e Ana Vilela mas tem um frescor e carisma diferenciado. Vai estourar!                                                                        

                                                                         

Beto Pitombo: Fez sucesso nos anos 80 e gravou com grandes nomes do forró. Hoje não tem o mesmo apelo nacional, mas a música continua deliciosa.                                                        

                                                                         

As Bahias e a cozinha mineira: blues, rock, MPB tornam esta uma das bandas mais ousadas da atualidade, inclusive participaram do último disco da Elza Soares que também está sempre renovando sua música.                                                                  

                                                                           

Gabriel Sater: O representante do sertanejo é a prova que um fruto não cai muito longe da árvore. Filho de Almir Sater, o rapaz traz no repertório poemas musicados.  

                                                                           

1comentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias