Quarta, 08 de Julho de 2020 18:29
(11) 98373-2619
Geral Genebra - SUÍÇA

No Lugar Certo, na Hora Certa e com a Pessoa CERN.

No artigo, eu conto a saga para chegar até a CERN, uma história que roubou a cena e me fez sentir-se uma fórmula da Nova Física.

23/12/2019 18h26 Atualizada há 6 meses
1.364
Por: Mauro Beni Fonte: CERN - Organização Européia para Pesquisas Nucleares.
A estátua é um presente da Índia, comemorando a longa associação com a CERN. Foto: Mauro Beni.
A estátua é um presente da Índia, comemorando a longa associação com a CERN. Foto: Mauro Beni.

Nos anos 2000 esta Organização surgiu em uma das minhas pesquisas, fiquei muito curioso e entusiasmado para conhecê-la, não sabia quando seria a visita, mas este dia chegou, mesmo sem saber se eu teria acesso, dei um jeito de chegar lá, com meus próprios recursos, sem cadastro, sem indicação mas com muita determinação. Alguns dias antes da viagem, li um artigo científico muito interessante da USP, enviei um e-mail para a autora, Luiza Caires, pedindo orientações para conseguir entrar no laboratório, a resposta foi imediata e positiva, porém eu deveria esperar uma resposta, ela encaminharia o meu pedido para um contato que ela tinha lá dentro da Organização, na Suíça. Chegou o dia da viagem mas eu não havia recebido a reposta do e-mail com o nome do contato de lá, fiquei um pouco preocupado porém estava muito determinado. Reservei um quarto por um aplicativo, num bairro próximo à CERN, cheguei à noite e só teria um dia para realizar meu sonho, mas eu nem imaginava o que estava por vir. Era o meu dia de folga, eu peguei o último voo do dia 10 de dezembro e voltaria no primeiro voo do dia 12, de qualquer forma, o dia 11 de dezembro ficaria marcado na minha vida.

No outro dia de manhã cheguei no ponto de ônibus que passava lá perto da casa onde me hospedei, eu vi que ele estava partindo, corri e consegui entrar, mas não consegui comprar o bilhete antes de entrar. Que loucura, tentando explicar para o motorista falando em francês, acabamos a conversa em inglês mas eu deveria descer no próximo ponto, pois a máquina interna só aceitava cartão e eu queria pagar com dinheiro para economizar taxas do cartão de crédito, só as máquinas que ficam nas calçadas vendem com dinheiro. Eu estava super preocupado com tantas coisas, só me faltava começar a dar tudo errado, ainda mais na Suíça. Foi aí que algo muito estranho começou a acontecer, ouvi uma voz feminina lá no fundo do ônibus me perguntando em português se eu era brasileiro, virei e respondi que sim, dizendo que estava ali só para conhecer a CERN, e que tinha só aquele dia, e a pessoa, uma mulher que estava levando a filha na escola, gentilmente possibilitou minha permanência no ônibus e disse que trabalhava lá, na CERN. Fiquei surpreso e prossegui dizendo que era Jornalista, admirador da Física e que tinha tentado um contato do laboratório através de uma Jornalista que havia escrito um artigo super bacana... ela interrompeu... "-Você é o Mauro?". Eu disse que sim, como assim? E ela disse que era a Claudia, a contato da Jornalista!!! E que havia respondido o e-mail, porém ao conferir notou que havia esquecido uma letra, por isso o envio não havia sido realizado com sucesso. Me senti dentro da mais perfeita fórmula científica, no lugar certo, na hora certa e com a pessoa CERN, (risos) como uma coisa desta poderia acontecer, ah o Universo...

Simplesmente a responsável pelos Compromissos Mundiais da CERN, Claudia Marcelloni, estava ali, dentro do ônibus, que maravilha. Descemos do ônibus, ela me apontou o Globo, que é o Universo das Partículas há alguns metros de onde estávamos e foi levar a filha para a escola, ah, antes disso ela me disse que não poderia me acompanhar na visita. Meu mundo caiu, devo ter feito uma expressão tão triste que ela percebeu e se justificou, dizendo que teria uma reunião na ONU mas que durante o meu trajeto até lá, ela entraria em contato com algumas pessoas lá dentro e que iria dar tudo certo, me tranquilizando.

Naqueles 500 metros de caminhada eu me senti na Lua, foi a caminhada mais emocionante da minha vida, vendo o Globo se aproximar, eram 8h00 da manhã, zero grau, os Alpes Suíços ali, a CERN, o encontro, confesso que debaixo daquele capuz, eu chorei muito de alegria. Na recepção, tentei conectar minha internet, mas na Suíça tudo é possível, inclusive o impossível, até ali eu tinha provas disso e com muita dificuldade consegui através do meu chip italiano que por algumas vezes insistiu em me alertar que não seria possível a conexão, e algumas mensagens da Claudia começaram a chegar me avisando que ao menos 3 pessoas iriam me recepcionar, o Físico Denis Oliveira Damazio, o Pesquisador Científico e Engenheiro da Computação Guilherme Gonçalves e um dos Físicos responsável pelo LHCb Andre Massafferri. A visita foi quase completa, o detector de partículas ATLAS está passando por um "upgrade" e não pode ser visitado assim tão fácil, por isso meu retorno será breve, com pedidos de autorizações para entrevistas e captações de imagens mais detalhadas, porém eu registrei muitas coisas que misturadas com minha inexperiência científica e minha ansiedade, vocês poderão assistir.

Espero que tenham gostado, se você nunca ouviu falar na Organização ou no Centro/Conselho CERN e o que acontece ali dentro, me permitam agora dar algumas informações mais técnicas e que poderão ajudar. Ah! No final do dia eu e a Claudia nos encontramos novamente por acaso e rimos muito, eu perguntei como havia sido a reunião na ONU e ela me disse que foi tudo bem, porém gostaria de ter voltado à tempo para acompanhar a minha visita com os colegas de profissão. Até ali eu já estava satisfeito e fiquei muito mais quando escutei aquelas palavras simples e sinceras de uma pessoa com uma dimensão incalculável de responsabilidades, que exemplo de colaboração e respeito, há muito tempo não presenciava.

CERN - Organização Européia para Pesquisas Nucleares. O trabalho de 10 mil cientistas ajuda a descobrir do que o Universo é feito e como ele funciona. A Organização criada em 1954, tornou-se um excelente exemplo de colaboração internacional. Mais de 600 institutos e universidades de 100 países utilizam suas instalações num consórcio de 10 bilhões de dólares. O LHC tem 27 km de circunferência, 100 metros de profundidade e está na fronteira entre Suíça e França. O Bóson de Higgs (Modelo Padrão) foi confirmado em 2013 e ganhou esse nome porque Peter Higgs em 1964 propôs sua existência. O LHC em sua evolução buscará  mais dados num período mais curto de tempo. Além da partícula elementar, o "Graviton", quantum hipotético da gravidade eles também buscam sinais da "Matéria Escura" que representam Física além do Modelo Padrão, porém ambos são muito raros e não foram encontrados, então estão aumentando o número de colisões para vê-los. Qual é a natureza do nosso universo? Do que isso é feito? Possivelmente farei um documentário para a TV, estou preparando meu retorno à Suíça. No Brasil também existe um acelerador de partículas, chamado SIRIUS, porém não é um colisor.

Assista ao vídeo e ative as notificações, pois assim você poderá receber os avisos dos próximos que virão. Ficarei muito feliz e retribuirei a gentileza.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Mauro Beni
Sobre Mauro Beni
Mauro Beni é Jornalista Correspondente Internacional. Atualmente baseado em Roma, reporta notícias da Itália e do Hemisfério Norte.
Cotia - SP
Atualizado às 18h16 - Fonte: Climatempo
21°
Poucas nuvens

Mín. 15° Máx. 26°

21° Sensação
12 km/h Vento
55.3% Umidade do ar
90% (5mm) Chance de chuva
Amanhã (09/07)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 13° Máx. 18°

Sol com muitas nuvens e chuva
Sexta (10/07)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. Máx. 19°

Sol com algumas nuvens
Ele1 - Criar site de notícias